12 de agosto – Dia Nacional das Artes. Veja as releituras feitas pelos alunos do Orientar.

04 set
0 comentários

No dia 12 de agosto comemora-se o Dia Nacional das Artes. Ele foi criado, através de uma Lei Federal, datada de 1931, cujo objetivo era o de lembrar a inauguração da Escola Real de Ciências, Artes e Ofícios, atualmente a Escola de Belas Artes, da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), pelo Rei D. João VI, à 12 de agosto de 1816.

Em razão da gama de áreas profissionais ligadas às Artes, foram instituídas: a Lei nº 6.533 e o Decreto nº 82.385, ambos de 1978; que regulamentam a profissão Artista e Técnico em Espetáculos de Diversões, assim como as mais de cem (100) funções diferentes, reconhecidamente de cunho artístico, referentes as diversas especialidades pertencentes a categoria. Todas essas funções possuem registro profissional emitido pelo Ministério do Trabalho em locais como: DRT’s (Delegacias Regionais do Trabalho) ou em Sindicatos das especialidades, por exemplo, o SATED (Sindicato dos Artistas e Técnicos em Espetáculos de Diversões), dentre outros.

Já as Leis nº 4.024 de 1961; nº 5.692 de 1971; e, nº 9.394 de 1996, tratam do ensino de artes nas escolas e instituíram o uso obrigatório das quatro linguagens das artes, a saber:  a linguagem visual, linguagem musical, linguagem cinestésica (movimento) e linguagem literária. Embora exista Leis e Parâmetros Curriculares que regulem o ensino das artes nas escolas brasileiras, nosso país ainda sofre com carências nessa área. O enfoque nas artes visuais – artes plásticas (pintura, escultura); gráficas (computacionais); vídeo; cinema; fotografia – se deve ao forte apelo que o visual exerce sobre nossa sociedade, isto é, sobre a grande influência que os estereótipos físicos e visíveis, cujo nível de abstração não é exigente, posto que, por ser figurativo, na maioria das vezes, não necessita de transpor barreiras muito distantes da realidade como se apresenta. Ainda que isso possa parecer discutível e um tanto controverso, levando em conta as tendências abstracionistas presentes também nas artes visuais, não se pode negar a restrição que tal comportamento sugere, não só no que tange a valorização daquilo que pretensamente pode ser considerado como arte, mas também no sentido inverso, na desvalorização de outras manifestações de expressão notadamente artística.

Intimamente ligada à cultura – entendida nesse contexto como o complexo de padrões de comportamento, das crenças, das instituições, das manifestações artísticas, intelectuais, entre outras, transmitidos coletivamente, típicos de uma sociedade –  as artes desempenham um papel muito importante desde o início da civilização. Contudo, por essa mesma relação de proximidade com a cultura, o significado do conceito de arte não é constante, justamente pelo fato de que os homens e o seu tempo é que determinam a dinâmica e os usos atribuidos a palavra.

Assim, a arte está conectada a vários aspectos, seja a manifestação de alguma habilidade especial, seja a criação artificial de algo pelo homem. A apresentação de alguma ordem, padrão ou harmonia ou, ainda, a transmissão de um senso de novidade e ineditismo também constam como significados relativos as artes. Expressão da realidade interna do criador, a excitação da imaginação e a comunicação de algo sob a forma de uma linguagem especial figuram junto as demais como aspectos inerentes ao conceito de arte.

O ensino da arte, portanto, é de grande importância na formação crítica de cidadãos conscientes e capazes de atuar em prol da coletividade e, consequentemente, do crescimento de um povo.  Individualmente, a arte contibui efetivamente para o crescimento da autonomia e da capacidade inventiva d@ alun@, uma vez que, sempre leva em conta os valores e sentidos do universo cultural no qual este alun@ está inserido.

Embuidos desse espírito artístico, promovemos uma homenagem ao Dia Nacional das Artes, na qual noss@s alun@s fizeram releituras  de obras de arte, de artistas reconhecidos mundialmente por seu estilo e trabalho: Romero Brito, Vincent Van Gogh, Tarsila do Amaral, René Magrite, Pablo Picasso, dentre outros. Essas releituras representam a reinterpretação de cada uma dessas obras, ou seja, a visão de nossos alunos, com a devida adaptação dos materiais utilizados, sobre quais emoções e sentimentos lhe fluiram ao observar cada quadro.

Confira as fotos dos trabalhos das crianças na galeria abaixo!

Deixar seu comentário