12 de agosto – Dia Nacional das Artes. Veja as releituras feitas pelos alunos do Orientar.

04 set
0 comentários

No dia 12 de agosto comemora-se o Dia Nacional das Artes. Ele foi criado, através de uma Lei Federal, datada de 1931, cujo objetivo era o de lembrar a inauguração da Escola Real de Ciências, Artes e Ofícios, atualmente a Escola de Belas Artes, da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), pelo Rei D. João VI, à 12 de agosto de 1816.

Em razão da gama de áreas profissionais ligadas às Artes, foram instituídas: a Lei nº 6.533 e o Decreto nº 82.385, ambos de 1978; que regulamentam a profissão Artista e Técnico em Espetáculos de Diversões, assim como as mais de cem (100) funções diferentes, reconhecidamente de cunho artístico, referentes as diversas especialidades pertencentes a categoria. Todas essas funções possuem registro profissional emitido pelo Ministério do Trabalho em locais como: DRT’s (Delegacias Regionais do Trabalho) ou em Sindicatos das especialidades, por exemplo, o SATED (Sindicato dos Artistas e Técnicos em Espetáculos de Diversões), dentre outros.

Já as Leis nº 4.024 de 1961; nº 5.692 de 1971; e, nº 9.394 de 1996, tratam do ensino de artes nas escolas e instituíram o uso obrigatório das quatro linguagens das artes, a saber:  a linguagem visual, linguagem musical, linguagem cinestésica (movimento) e linguagem literária. Embora exista Leis e Parâmetros Curriculares que regulem o ensino das artes nas escolas brasileiras, nosso país ainda sofre com carências nessa área. O enfoque nas artes visuais – artes plásticas (pintura, escultura); gráficas (computacionais); vídeo; cinema; fotografia – se deve ao forte apelo que o visual exerce sobre nossa sociedade, isto é, sobre a grande influência que os estereótipos físicos e visíveis, cujo nível de abstração não é exigente, posto que, por ser figurativo, na maioria das vezes, não necessita de transpor barreiras muito distantes da realidade como se apresenta. Ainda que isso possa parecer discutível e um tanto controverso, levando em conta as tendências abstracionistas presentes também nas artes visuais, não se pode negar a restrição que tal comportamento sugere, não só no que tange a valorização daquilo que pretensamente pode ser considerado como arte, mas também no sentido inverso, na desvalorização de outras manifestações de expressão notadamente artística.

Intimamente ligada à cultura – entendida nesse contexto como o complexo de padrões de comportamento, das crenças, das instituições, das manifestações artísticas, intelectuais, entre outras, transmitidos coletivamente, típicos de uma sociedade –  as artes desempenham um papel muito importante desde o início da civilização. Contudo, por essa mesma relação de proximidade com a cultura, o significado do conceito de arte não é constante, justamente pelo fato de que os homens e o seu tempo é que determinam a dinâmica e os usos atribuidos a palavra.

Assim, a arte está conectada a vários aspectos, seja a manifestação de alguma habilidade especial, seja a criação artificial de algo pelo homem. A apresentação de alguma ordem, padrão ou harmonia ou, ainda, a transmissão de um senso de novidade e ineditismo também constam como significados relativos as artes. Expressão da realidade interna do criador, a excitação da imaginação e a comunicação de algo sob a forma de uma linguagem especial figuram junto as demais como aspectos inerentes ao conceito de arte.

O ensino da arte, portanto, é de grande importância na formação crítica de cidadãos conscientes e capazes de atuar em prol da coletividade e, consequentemente, do crescimento de um povo.  Individualmente, a arte contibui efetivamente para o crescimento da autonomia e da capacidade inventiva d@ alun@, uma vez que, sempre leva em conta os valores e sentidos do universo cultural no qual este alun@ está inserido.

Embuidos desse espírito artístico, promovemos uma homenagem ao Dia Nacional das Artes, na qual noss@s alun@s fizeram releituras  de obras de arte, de artistas reconhecidos mundialmente por seu estilo e trabalho: Romero Brito, Vincent Van Gogh, Tarsila do Amaral, René Magrite, Pablo Picasso, dentre outros. Essas releituras representam a reinterpretação de cada uma dessas obras, ou seja, a visão de nossos alunos, com a devida adaptação dos materiais utilizados, sobre quais emoções e sentimentos lhe fluiram ao observar cada quadro.

Confira as fotos dos trabalhos das crianças na galeria abaixo!

Deixar seu comentário

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.